Ensaios Rio de Janeiro

Dani, Beto e Antonio | Planejar e viver

Cada fotógrafo planeja o seu ensaio de um jeito. Tem gente que nem planeja. Apenas marca um dia, chega na hora combinada e clica. Para mim, isso não funciona! Gosto de pensar e planejar tudo antes! Penso em cada detalhes para que, no dia, não haja nenhum contratempo.

No caso do ensaio de gestante da Dani e do Beto, não foi diferente. Desde o primeiro contato (que não foi o primeiro, pois eles foram meus noivos!), fiz todo o planejamento com bastante antecedência. Como eles moram em São Paulo e viriam ao Rio apenas um dia para as fotos, poucas semanas antes do nascimento do Antonio, nada podia dar errado.

Então, marcamos o dia, estudei a lista de roupas, vi a previsão do tempo e escolhemos o lugar: O Museu do Açude. Um parêntese: O museu do açude (Museu Castro Maya), para quem não conhece, é um lugar lindo. No Alto da Boa Vista, um casario colonial, com a vegetação típica da região, mas com jardins recheados de obras de arte a céu aberto. Lugar perfeito? Sim, menos com chuva (mas tudo bem, né? Afinal eu olhei a previsão… e nada de chuva!!!)

Como era dia de eleição, liguei antes (duas semana antes) e pedi  uma autorização para fotografar lá. Deram! Tudo pronto! Quem adora planejar, sabe a sensação de segurança que isso dá (rss). Tipo: Ufaaaaaa! Ensaio no domingo? Sem problemas, já está tudo pronto e planejado!

Então, foi tudo como planejado, né? Não! Nada, Nada, Nada!

Na sexta-feira antes do ensaio, alguém me liga:

– Olha esquecemos que era eleição e o museu do açude estará fechado!

Oi? e minha autorização conseguida há duas semanas?

– Foi engano!

Depois de duas horas argumentando no telefone e de já pensar como eu ia dizer para a Dani que não ia rolar aquele museu que eu disse que era lindo, a funcionária ficou com pena quando  falei que era uma gestante, que viria ao Rio só para o ensaio, que ela já estava com 32 semanas, que a notícia podia fazer até o Antonio nascer e acabou cedendo. O Museu ia abrir só para gente. Essa Valeu!! O problema virou uma super solução: Um museu inteiro vazio para fotografar!

Tudo certo então? Não (Que dia! rssss).

Amanheceu um domingo super  nublado e chuvoso. Tá, nublado eu já tinha visto na previsão! Mas, chuva? Dizia “0%”! Eu sei que previsão erra as vezes. Mas o “zero” não tinha como virar o pé d’água que caiu na hora do ensaio. Não podia, mas choveu!!!

Ficamos olhando um pro outro. E agora? Continua? Geralmente com chuva (ainda mais em lugar aberto), eu marco para outro dia. Mas a Dani e o Beto estavam com a passagem de volta para São Paulo marcada para algumas horas depois do ensaio e o Antonio nasce daqui a poucas semanas. Remarcar não era uma opção.

O que fazer? Bom… Viver! Aproveitar o momento juntos, nos divertir com os problemas, não ligar para expectativas que foram criadas nas semanas anteriores… Lembrar que as melhorar coisas da vida, vêem mesmo quando não planejamos muito (ou nada!).

Foi o que fizemos: a Dani sorrindo atoa, o Beto (que não é muito de rir), super cuidadoso, ficou o tempo todo com o guarda-chuva para proteger a Dani e o Antonio. Todo Mundo diz que chuva é sinal sorte, então, muita sorte para essa família e para o pequeno Antonio que já já está ai na área!!!

Um super beijo!!!